Skip to content

Mendoza em 3 dias

julho 12, 2013

Lembram quando eu escrevi sobre o Peru?

Então, acho que não cheguei a comentar aqui, mas quando fiz essa viagem, depois de passar por lá, fiquei mais 10 dias viajando entre Mendoza, Santiago e Viña del Mar e como uma amiga recentemente veio pedir dicas dessa viagem, resolvi aproveitar e relembrar todas as dicas desses locais que eu tinha para compartilhar.

Os posts serão na seguinte ordem: Mendoza, Santiago e Viña del Mar. Espero que vocês curtam e achem o mesmo útil!

Agora vamos ao que interessa…

Mendoza

 

A cidade de Mendoza chama a atenção por ser à primeira vista bem calminha, tranquila e muito plana também (não sei porque acabei notando isso). Você vai notar rapidamente, que a cidade em si não tem muito o que fazer, porém são váriaaaaas as opções de passeios, os quais você pode fazer passando alguns dias por lá.

Eu recomendo ficar uns 3 dias e 3 noites, assim dá pra fazer bastante coisa e relaxar, o que é o principal dessa cidade.

Chegando lá…

 

Basicamente, você tem duas opções para ir a Mendoza e tudo vai depender de quanto tempo você tem em sua viagem. A primeira opção (e mais cara) é comprar um vôo ida e volta de Santiago. O vôo dura 50 minutos e é primordial sentar na janelinha, afinal você sobrevoa os Andes, o que é simplesmente maravilhoso e de tirar o fôlego.

A outra opção é alugar um carro em Santiago e encarar 400km de estrada, viagem que normalmente dura de 6 a 7 horas, pois a estrada fica em uma região montanhosa e é cheia de curvas bem fechadas e que você tem que ir mais numa boa. Porém, a grande vantagem de ir de carro é que você vai simplesmente CRUZAR os Andes de carro, o que é de tirar ainda mais o fôlego!

Eu optei pela 1a opção e achei que valeu a pena, pois eu tinha poucos dias, porém com mais tempo, eu acho que vale a pena ir de carro.

Vista dos Andes

Hostel: essa viagem, eu fiz na pegada de mochilão, então não tenho dicas de hotel, porém posso dizer de boca cheia que o Mendoza Inn foi um dos hostels mais legais que já fiquei na vida. O staff era absurdamente simpático e amigo, o pessoal fazia festa umas 2x na semana e a rua onde estavam os bares/baladas ficavam bem em frente ao hostel. Moral da história: preço bom, localização excelente e atendimento nota 10.

Hostel Mendoza Inn

Passeios

 

5 praças: a cidade possui 5 pracinhas simpáticas que não chegam a ser iguais as do interior de São Paulo, mas também não lembram as de cidade grande, acabam ficando no meio do caminho. A que eu mais curti foi a Plaza Independia, que é uma boa pedida em um dia bonito, pois possui vários restaurantes com mesa na calçada, nos quais você pode tanto comer quanto tomar um vinho, cerveja e relaxar.

Vinícolas e afins: essa é a verdadeira razão pela qual você vai para Mendoza e não tem porque se arrepender. Você normalmente, tem três opções de passeio, os quais pode fazer:

–       Alugar uma bike: você pega a bike no centro da cidade e vai indo de vinícola em vinícola fazendo degustação e ficando bêbado ando de bike. Obviamente, que a ideia é fantástica só depende de você estar na pegada de pedalar;

–       Tour:  eu acabei optando por essa opção e visitei duas vinícolas e uma fábrica de azeite:

A 1a vinícola foi a Don Arturo, a qual era bem artesanal e foi legal ver o processo de produção e tal, mas sinceramente não curti muito o vinho;

DSC06747

A 2a foi a Vistande, uma vinícola maior, mais profissional e que tinha um vinho bacana;

Não consigo lembrar o nome da fábrica de azeite, mas sinceramente foi disparado a coisa mais legal da visita e valeu muito a pena, tanto para conhecer como para levar uns azeites muito bons de volta pra casa.

–       Degustação + Almoço: essa é a melhor opção pra quem está 100% na pegada de relaxar, pois você escolhe uma vinícola, agenda o almoço e aproveita pra fazer a degustação. As melhores vinícolas trabalham nesse esquema.

Rafting: pois é, você acha que viajou pra relaxar e vai mesmo fazer rafting? Bom, o que eu posso dizer é que descer as corredeiras do Rio Mendoza no meio da Cordilheira dos Andes é absurdamente incrível! No meu ver, vale muitooooo a pena, mas se prepare pra passar frio, pois a água é MUITO gelada, afinal é água de degelo que vem do topo das montanhas, mas o lado bom é que eles fornecem roupa térmica (incluindo sapatilhas), então não precisa se preocupar com isso.

Restaurantes + Baladinhas

 

Claroscuro: restaurante agradável com bom custo benefício e que fica na região do hostel. Vale a visita se estiver na área, mas também não precisa se matar pra conhecer.

El Pátio Jesus Maria: esse restaurante é puro sucesso! Ele trabalha com um menu degustação de diversos cortes de carnes, os quais são todos espetaculares. O restaurante é um pouquinho mais caro, porém nada absurdo. Também é possível ir andando do hostel, apesar de ser um pouco mais distante e uma bela caminhada.

Por Acá: esse é um bar/baladinha em frente ao hostel, o qual é bom para tomar uns bons drinks e dar uma saidinha. Porém, não vá esperando uma super balada, rs.

Por hoje é só galera. Em breve solto o post de Santiago por aqui.

Bjs e abs,

P.

One Comment leave one →
  1. julho 12, 2013 10:26 am

    Fala Pedrão, tudo bem? Cara, eu curti muito Mendoza, fiquei 6 dias. Meu vôo inicial era via Santiago, mas a Gol cancelou e eu tive que ir por Córdoba, uma pena.
    Você ficou na Calle Aristides Villanueva né?! Larga de ser preguiçoso, é um pulo até a parrilla. Os restaurantes que mais gostei foram os do Francis Mallman, 1884 e Maria Antonieta. Fiz um diário de viagem, dá uma olhada depois:
    http://www.hipgeo.com/lucaocr

    Abraço,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: